O Caminho Mais Comum Para Estudantes: Trabalho Sem Saída e Bom Trabalho Ilusório

Este artigo originariamente foi escrito pelos Termos Reais em inglês. Após pedidos da finansfera para escrever em português, e levando em conta que posts artigos foram escritos na língua inglesa, periodicamente vou traduzir artigos para a comunidade. Se você prefere a versão inglesa, basta clicar aqui.

Muitas pessoas odeiam a rotina de segunda à sexta. Basicamente, a maior parte das pessoas odeiam seus trabalhos e contam os segundos para o final de semana. Então após passar 40 anos nesta rotina, eles se aposentam quebrados financeiramente e emocionalmente fodidos. É insano na mesma proporção de quão real isto é. Muitas coisas sobre esta verdade precisam ser dissecadas para entender como evitar este cenário.

Sistema de Educação Tradicional

Sem título3

Nada do que é ensinado na sala de aula realmente te ajuda a se tornar bem sucedido ou rico. O sistema de educação tradicional não tem comprometimento em transformá-lo em uma pessoa de sucesso. Ele tem o objetivo de transformá-lo em uma pessoa com habilidades laborativas mínimas, apenas com saúde suficiente para manter uma boa produtividade e pagar impostos o maior período de tempo possível.

Em países capitalistas e comunistas, a base do sistema de educação tradicional é definida pelo governo. E escolas – sejam elas privadas ou públicas – apenas seguem as regras. No final do dia, os professores tem um enorme conflito de interesses em ensinar sobre o sucesso: até mesmo porque na maioria das vezes eles não tem o real conhecimento para falar e ensinar sobre sucesso financeiro.

A propósito, no ensino fundamental, médio e superior, o professor não te ensina a pensar por si próprio, ele te ensina a pensar como alguém pensou. Agora pense o seguinte: se você apenas seguir todo o conteúdo empacotado pelo governo para consumir, o que você imagina sobre o seu futuro? O mesmo resultado da maioria dos estudantes.

O Trabalho Sem Saída e o Bom Trabalho Ilusório

Sem título4

A maioria dos estudantes não será bem sucedida. Eles ficam presos em trabalhos sem saída ou em bons trabalhos ilusórios.

Trabalho Sem Saída: habilidades mínimas, pouco pagamento, poucas ou nenhuma oportunidade de crescimento, mínimo envolvimento criativo ou intelectual. Essas condições são encontradas na grande maioria dos empregos em todo o mundo.

Bom Trabalho Ilusório: alguma ilusão de felicidade, importância, conhecimento, recompensa financeira e social. Mas invariavelmente deixa qualquer um com uma fodida depressão e uma contagem regressiva para uma pobre aposentadoria.

Em relação a estas duras realidades,  99% da população se encaixa em uma das duas opções acima. Em ambos os casos, você simplesmente trabalha horas e você recebe seu salário por hora. Você é essencialmente uma máquina de fazer dinheiro para outra pessoa.

Sem título2

– Ok, mas estou ultra especializado. Eu sou insubstituível. Eu fiz duas faculdades, três mestrados, oitocentos doutorados, um MBA em Harvard, outro em Yale … Isso DEVE ser recompensado! Eu faço a diferença para a empresa!”

Esse pensamento é tolo. Todas as posições na empresa, exceto o proprietário, são temporárias. Ninguém se importa com seus títulos. Você só é importante para o dinheiro que você adiciona à conta bancária do proprietário. Ninguém se preocupa com sua dívida estudantil e as dificuldades que você teve até chegar à faculdade.

Propriedade

Sem título5

Para se tornar realmente rico você deve ser um dono. A propriedade não é a coisa mais importante. É A ÚNICA COISA QUE CONTA. Você nunca se enriquecerá com um salário anual ou um salário por hora.

As maiores recompensas não são para aqueles indivíduos que surgiram com a ideia, nem com os indivíduos que construíram o império. Eles vão para as entidades ou indivíduos que financiaram a empresa e possuem a maior parte das cotas/ações.

Se você quer ser rico, você não está procurando um “trabalho”, exceto se for como uma plataforma de lançamento para algo maior ou como uma chance de entender uma determinada indústria. Um trabalho é apenas algo para mantê-lo a colocar comida no seu prato.

Conclusão

Sem título

As pessoas sempre acreditam que são exceções. Será? Caminhe pelas ruas da sua cidade e veja o rosto dos trabalhadores. Parece uma exceção? A infelicidade no trabalho é a regra.

Para evitar ser uma pessoa quebrada e fodida na aposentadoria, você deve pensar seriamente sobre os seguintes pontos:

  1. A educação formal não separa os ganhadores dos perdedores. De fato, se você não procura educação alternativa, aumenta exponencialmente a chance de você fazer parte do grupo “Eu odeio minha vida”.
  2. O empregado é uma definição interessante para definir aquele que faz o empresário ganhar dinheiro. Nada de errado em ser um empregado. Mas você não pode ser um empregado e desejar ser (realmente) rico ao mesmo tempo.
  3. Você se tornará rico se você for o proprietário de um negócio bem-sucedido. Se você é um empregado de um negócio bem sucedido, você receberá um salário, talvez um bônus e um “obrigado” acompanhado por um relógio da empresa aos seus sessenta anos. Essa é a principal diferença que você deve sempre ter em mente.
  4. Lembre-se sempre o que acontece com 99% dos estudantes (o futuro da classe trabalhadora): eles compram bilhetes de loteria e sonham em se tornarem ricos, mas não têm esperança de conseguir tal coisa. Você conhece as chances da loteria, certo?
Advertisements

27 thoughts on “O Caminho Mais Comum Para Estudantes: Trabalho Sem Saída e Bom Trabalho Ilusório

  1. Parabéns pelo excelente post TR.

    Robert K. fala desse método de ensino nos livros dele. A ideia sempre é ter gente para trabalhar para os ricos. As pessoas são ensinadas a estudar e encontrar um bom emprego e aposentar aos 65 anos. Pior que a maioria acredita que esse é o melhor caminho.

    Abraços.

    Like

  2. Parabéns pelo ótimo post TR.

    Sempre tive o mesmo pensamento e corro atrás para mudar essa “regra” (já obtive vários avanços). Fico pensando que, por mais que ensinemos pessoas a sairem da estaca zero, poucas conseguem realmente apertar o botão do start sozinhas. Espero que cada vez mais possamos ajudar a todos nesse aspecto.
    Um grande abraço e até a próxima.

    Like

  3. TR,

    Já havia comentado quando em inglês e agora faço outro comentário.

    Podemos perceber facilmente que se ensinarmos nossos filhos a como manter uma carteira de investimentos, eles manterão e nem precisarão ir à escola. Podemos juntar todo o dinheiro que gastaríamos não com alfabetização mas sim com faculdades e especialização e investir por eles até que possam fazer sozinho o problema é: será que podemos confiar nos nossos filhos? kkkkk

    Eu tenho uma filha e vejo que se ela for esperta e aprender tudinho do jeito certo, não precisará trabalha nunca na vida mas….. nunca se sabe o que passa na cabeça de um jovem e por isso prefiro que ela estude hehehe.

    Abraço!

    Like

    • Fala BPM!

      “Será que podemos confiar em nossos filhos?” É uma excelente pergunta para ser discutida por horas a fio. Ao longo da vida tenho percebido que muito mais do que toda a preparação dos pais, vem a vontade da própria pessoa, ou seja, do filho (a) em querer ser ‘alguém’ na vida.

      Conheço pessoas sem a menor base familiar que tem um apetite incrível pelo sucesso, enquanto outras tem o melhor ambiente familiar possível e são zeros à esquerda.

      Pelo que leio em seus posts, posso afirmar que sua filha está em boas mãos com o mentor/pai que tem.

      Bela discussão para se ter tomando uma caipirinha de cachaça de Minas. hehehe

      PS: Voltarei às áreas urbanas em breve! Abs!

      Like

      • Olá TR!

        Antes, excelente post! Depois vou ler em inglês (preguiça rs)

        Esse ponto “Conheço pessoas sem a menor base familiar que tem um apetite incrível pelo sucesso, enquanto outras tem o melhor ambiente familiar possível e são zeros à esquerda.” é bem interessante. Conheço um senhor, que não teve oportunidade de ir a escola. Hoje seu patrimônio deve beirar uns 500k

        Acho que foi a melhor coisa que aconteceu com ele (não ter ido a escola) . Ele foi do zero aos 500k em mais ou menos 20~25 anos de trabalho. Pode ser que com estudo ele atingisse essa marca antes, mas, vai saber…

        Abraço!

        Like

      • Na verdade eu acho que é cíclico. Conheço muitas famílias que eram pobres e deram duro para ter algo e os filhos nasceram já com algo e não deram importância ao que já tinham e ficaram pobres quando ficaram adultos.

        Tive um chefe que é um desses que “venceu” na vida e os filhos não estão nem aí para as dificuldades que o pai passou.

        Ainda pra ilustrar, quando era criança meu tio era o cara da família porque tinha dinheiro. 4 filhas e ainda adotou um menino. Os filhos tudo viviam como ricos mas hoje em dia ele não tem nada e os filhos menos ainda. Uma das primas é caixa de mercado e assim segue a vida ratificando essa frase.

        Like

      • Para quem viveu uma juventude abastada, imagino como deva ser o lado psicológico de sua prima. Nada contra ser caixa de mercado, mas quem já experimentou o lado bom da vida sabe que aquilo ali está longe de ser sequer razoável.

        Like

      • Fala Investidor Inglês!

        Primeiramente, obrigado pelo elogio!

        Que interessante este relato. E você pode indicar qual foi o segmento de negócios que ele seguiu ou qual área atuou profissionalmente? Fiquei curioso.

        Abs!

        Like

  4. Parabéns pelo post. A educação estatal é completamente inútil e vai ter uma parte enorme na próxima crise já que tanta gente pegou empréstimo pra se formar em carreiras que não são lucrativas.

    Meus filhos saberão desde o primeiro dia: passou nas provas, pode esquecer toda a baboseira. Só vão à escola durante o tempo mínimo pra que os pais não vão pra cadeia.

    Sou fã do Kiyosaki. Esse sim é um guru financeiro de respeito.

    Like

    • Fala CF!

      Rapaz, o Cowboy Investidor falou do Robert e você também. Eu não li suas obras, mas estou percebendo que o meu post deve ter algo parecido com o que ele escreve. Preciso dar uma lida…

      A educação estatal é ótima… para quem não precisa ser bem sucedido, e se contenta com o pão e circo tupiniquim =)

      Abs!

      Like

  5. Termos Reais, parabéns pelo post!
    Concordo com tudo..

    Ainda sou um assalariado… já pensei em abrir alguma coisa, mas hoje estou preso em algumas algemas de “prata” (salário bom, certa estabilidade).

    Entretanto, tento juntar meio dinheiro, economizando e investindo.

    Ainda estou procurando “algo” para empreender, porém ainda não achei

    Abraços!

    Like

    • Fala Japa!

      Primeiramente, obrigado pelo elogio!

      Sabe que esta questão do contracheque no final do mês é um dos maiores grilhões na vida moderna. Interessante é que você já tem um pensamento um pouco diferente e está buscando alternativas, este é o objetivo.

      Seja sempre bem vindo por aqui!

      Abs!

      Like

  6. Oi Termos Reais!

    Conheci seu site numa menção que o Frugal fez um dia desses, estou gostando muito de seus artigos. Concordo com o post e já tive dezenas de lições aprendidas observando pessoas à minha volta. O caminho para a riqueza financeira passa, na ampla maioria dos casos, pela tomada de decisão de se tornar um proprietário, Isso é ainda mais evidente aqui nos EUA, onde vivo – o empreendedorismo é o exemplo a ser seguido e a esperança de ascensão dos jovens que passam a integrar o mercado de trabalho. Vide a popularidade de programas como o Shark Tank, do qual você faz referência indireta. A ideia é tentar diversas vezes até conseguir (you only have to be right once).

    O que me entristece é perceber que essa visão não existe no Brasil, onde empreender é como ir para a guerra com apenas uma bala no revólver, pelos motivos que todos já sabemos.

    Vou passar a acompanhar o site, abraço!

    Like

    • Fala Dono da Mascada!

      O Frugal é um parceirão das antigas, mas não sabia que ele andava me mencionando por aí… Cobrarei royalties =D

      Brincadeiras a parte, a saída é exatamente a propriedade. Não tem segredo. Você sendo um dono zero a esquerda, mas dono do negócio, vai ganhar muito ( MUITO) mais que um funcionário excepcional.

      Não conhecia o seu blog também, vou passar a acompanhar as atualizações! Faz tempo que está na terra do tio sam?

      Abs!

      Like

  7. Pingback: Termos Reais na Estrada: O Toque de Midas da $oja | Termos Reais

  8. Pingback: Livin La Vida Loca – O Funcionário de 28 Anos Vencedor da Loteria | Termos Reais

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s