O Dinheiro Nunca Dorme

Este artigo originariamente foi escrito pelos Termos Reais em inglês. Após pedidos da finansfera para escrever em português, e levando em conta que posts artigos foram escritos na língua inglesa, periodicamente vou traduzir artigos para a comunidade. Se você prefere a versão inglesa, basta clicar aqui

Sem título

Conquest of Mexico: Hernando Cortes (1485-1547) by Nicholas Eustache Maurin

Introdução

Nós vemos ‘os filósofos do Twitter’ e os ‘pseudo-especialistas de Youtube’ postando sobre o que é a felicidade. Invariavelmente o dinheiro é apresentado com conotação negativa. Realmente é?

Vamos realizar um pequeno exercício de reflexão. Observe o mundo. Como os relacionamentos entre pessoas ocorrem? São interesses envolvidos. E o dinheiro é a materialização da troca desses interesses.

Não estamos dizendo que todos os relacionamentos são dinheiro. Estamos dizendo que a maioria deles são. O que é a unanimidade nos relacionamentos – sejam eles pessoais ou profissionais – é o interesse próprio. Mesmo a caridade é feita com o interesse próprio de se sentir bem agradando aos outros. Mas este é um tópico para outra publicação.

“Felicidade: uma boa conta bancária, uma boa cozinheira e uma boa digestão”. Jean-Jacques Rousseau, 1712 – 1778

O Dinheiro é Uma V@d** Que Nunca Dorme

Pessoas fazem produtos/serviços esperando que outras pessoas consumam. E o motivo para tais empreendimentos é lucrar. Existem organizações sem fins lucrativos, mas as pessoas que estão lá querem duas coisas: influência política e/ou reconhecimento de seus pares. Não há tolos. Os tolos são aqueles que acreditam que não há tolos.

O dinheiro permite a liberdade. Dinheiro permite o poder. Dinheiro permite a atração sexual. Dinheiro abre muitas portas na sociedade: contatos sociais e novos negócios. Tudo isso é possível com uma boa quantidade de dinheiro.

Ele proporciona casas, carros e todo o conforto e segurança necessários para seus relacionamentos e suas crianças. O dinheiro compra felicidade? Sim. Ele compra. Não somente isso, ele funciona como um meio para alcançar e manter a felicidade. E o alcance e manutenção deste status vem com inteligência prática.

“Quando eu era jovem, achava que o dinheiro era o mais importante na vida. Agora que eu sou velho, tenho certeza que é “. Oscar Wilde, 1854 -1900

As pessoas seguem opiniões sem questionar o interesse do interlocutor

Os interlocutores* apresentam interesses políticos, ideológicos, econômicos e acadêmicos, e eles são de extrema importância para a propagação de certos ideais, comportamentos e implementação de culturas de massa.

*a pessoa com quem se conversa, cada uma das pessoas que participam de uma conversa, de um diálogo.

Atores, jornalistas, blogueiros, youtubers, instagramers, e toda essa rede de influência propagam os interesses daqueles que lhes financiam. As mensagens que chegam ao público em geral são calibradas de acordo com os interesses de determinados grupos. Quais são estes grupos? Aqueles mesmos que acabei de mencionar: políticos, ideológicos, econômicos, sociais, etc.

Um exemplo: interlocutores que pregam discursos para massas, aparentando defender os interesses do povo,  mas que em suas vidas privadas praticam exatamente os atos que eles próprios repudiam em seus inflamados discursos públicos.

“A influência funciona melhor quando a pessoa que está sendo influenciada não tem objeção à mudança sugerida” Scott Adams

Conclusão

Aqui vai um guia para você se encaixar na sociedade moderna:

  1. Acompanhe ‘celebridades’ nas redes sociais. Em todas elas. Acompanhe o dia todo.
  2. Seja um folgado, um João Ninguém. Ser um zero a esquerda até que não é tão ruim. Na verdade, esse comportamento é exaltado pela mídia como algo ‘descolado’.
  3. Ser pobre não é um problema. Afinal, o dinheiro não é o caminho da felicidade. “- É verdade, eu ouvi isso de um filósofo do youtube. Ele não tem conflito de interesses ao propagar este tipo de mensagem, certo? Afinal é um filósofo! Além disso, pensar por si mesmo não vale a pena. Não vou ganhar likes no Instagram questionando o que Justin Bieber das redes sociais diz.”
  4. Continue com os olhos pregados nos programas de televisão, nos canais do Youtube, no Instagram da Kim Kardashian ou em de qualquer outra celebridade similar. O seu objetivo é continuar recebendo feedback positivo das atitudes de merda que tem feito.
  5. Prossiga sem questionar nada, tanto em relação a ideias, quanto a opiniões, quanto a produtos. Em relação a produtos: Consuma todos eles. Todos aqueles – direta e indiretamente – que estas celebridades juram que são autênticos produtos/serviços aprovados por eles mesmos e não têm nenhum interesse comercial

Pseudo-filósofos, celebridades de redes sociais e toda essa nova geração de formadores de opinião na internet não têm opiniões diferentes dos atores, atrizes e apresentadores de TV dos 90. Ambos propagam as mesmas mensagens: o dinheiro não compra a felicidade.

Estes mesmos influenciadores e criadores de opinião pública são aqueles que acumulam inúmeras riquezas materiais. Um discurso sedutor não significa um discurso verdadeiro. Não fique assustado com a hipocrisia, meu nobre. Na história da humanidade, hipocrisia é a regra e não a exceção.

“É tudo sobre dinheiro, garoto. O resto é conversa. ” Gordon Gekko

Advertisements

10 thoughts on “O Dinheiro Nunca Dorme

  1. Parabéns TR pelo excelente post.

    Para mim dinheiro compra tudo. Compra felicidade, paga saúde, sexo, “amigos”, claro que nem tudo, mas uma pessoa com uma conta bancária recheada de grana, a maioria dos seus problemas são resolvidos.

    Sobre essas pessoas do youtube, celebridades, não estou nem aí para eles. Besta é quem leva eles a sério.

    Abraços.

    Like

    • Fala Cowboy!

      Primeiramente, obrigado pelo elogio. Concordo com você. Quem diz que dinheiro não compra a felicidade provavelmente é pobre. Em relação as celebridades, o poder que elas tem de criar padrões de comportamento é brutal. Apesar de todo o bullshit que elas propagam, este ponto não deve ser menosprezado.

      Abs !

      Like

  2. Post fantástico e um tapa na cara em todos que demonizam dinheiro. No mundo capitalista é isto: dinheiro em primeiro lugar. Como disse o colega Cowboy acima: “dinheiro compra quase tudo, pior é sem ele.”

    Um homem sem dinheiro é quase um homem sem bolas. Pode reparar que 95% das mulheres nao toleram um homem quebrado. Dinheiro resolve 90% dos nossos problemas.

    Like

    • Fala Gari, bom te ver aqui!

      “Um homem sem dinheiro é quase um homem sem bolas. Pode reparar que 95% das mulheres nao toleram um homem quebrado. ” Na verdade, 100% das mulheres não toleram um homem quebrado. Aquelas que estão com homens quebrados se encaixam em duas opções:
      a) são demasiadamente sem confiança em si próprias, portanto não imaginam se relacionando com um homem financeiramente melhor e se acomodam com a situação atual;
      b) estão conscientes do valor de si e do valor de seu atual homem (fodido financeiramente), e apenas aguardam o momento que um prospecto de relacionamento melhor surgir no horizonte para dar um pé na bunda do atual.

      O estágio “a” é temporário, salvo em raríssimos casos de PROFUNDA falta de auto estima.

      Abs e seja sempre bem vindo!

      Like

    • Fala BI

      Na verdade se eu retirar o segundo ‘não’ a frase perde o sentido. A essência desta afirmativa é justamente esta: Tolos são aqueles que acreditam que não existam tolos, ou seja, que o mundo está recheado de pessoas ingênuas.

      Abs e seja bem vindo ao Termos Reais!

      Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s